Teatro, cinema e música entre as atrações do fim de semana

0
89

Depois de ser selecionado para a Convocatória A_ponte Cena do Teatro Universitário, do Itaú Cultural, o espetáculo Encardidos, do Coletivo Afro, volta aos palcos cuiabanos nesta sexta-feira (15). Outra dica para hoje é mais uma edição do Samba das Cabrochas, em clima de esquenta para o Carnaval. Para os amantes da sétima arte, a opção é participar do CineSesc Debate do Arsenal, que exibe o premiado Eu, Daniel Blake, de Ken Loach.

 

Encardidos, que será encenada desta sexta-feira até domingo (17), na sala Anderson Flores, no Cine Teatro Cuiabá, traz uma abordagem dura sobre a escravidão e o racismo ainda fortemente enraizado na sociedade. O espetáculo explora variadas possibilidades cênicas e utiliza a linguagem teatral como uma forma de dar visibilidade a estas questões bastante atuais. “A existência de um corpo preto não é única, individual. É coletiva, participativa e linda. Buscamos a consciência e respeito a nossa identidade, diversidade e existência”, informa o grupo.

Encardido neste universo é o negro, o escravo, o servo, o cativo, o abominável, o odioso, o horrendo, o horroroso, o pavoroso, o detestável, o censurável, o condenável, o reprovável, o maldito, o sujo, o imundo, o infeliz, o escuro, o sombrio, o obscuro, o crioulo, o tição, o afrodescendente, definem. A peça é composta por 4 ações performáticas. Em cena, os atores Maykon Castrovicky e Danielle Souziel realizam um jogo de submissão e poder para recontar a história do negro com seus próprios corpos, provocando reflexão quanto à realidade vivenciada. A apresentação será às 19h30, com ingressos a R$ 20,00 (inteira) R$ 10,00 (meia). A classificação indicativa é 12 anos.

 

Esquenta – A primeira edição do Samba das Cabrochas ocorreu no Carnaval de 2018, a convite do Bar e Restaurante Trigória. Neste ano, ele antecede a grande festa popular, com repertório contemplando músicas compostas e interpretadas por grandes nomes do samba, sambas clássicos, marchinhas e outros. Será um verdadeiro esquenta para a folia.

 

Na roda estarão Andrea Rosa (cavaquinho e vocal), Deize Águena (voz), Fatima Campos (voz), Juliane Grisólia (pandeiro e voz), Monica Campos(surdo), Sandra Regina (voz), Sônia Moraes (voz). Também participam o violinista Marinho Sete Cortas e o percussionista Bruno Lima.

Sandra Regina, cabrocha-mor do Samba de Monarquia, lembra que nem sempre as mulheres tiveram lugar nas rodas de samba. Elas conquistaram espaço. “O termo cabrocha foi dado para as mulheres que chegavam perto da roda de samba e cantavam trechos de músicas que gostavam. Foi desta forma que elas ganharam espaço nas rodas de samba. Hoje, segundo os músicos, são elas que ajudam a animar o grupo e fortalecer os sambas”, explica.

 

Durante as apresentações é possível ouvir, por diversas vezes, os músicos evocando as “cabrochas” para cantarem um refrão mais animado através de frases como “agora as cabrochas” ou “vamos lá cabrochas”. “Volta e meia nos perguntam o que é preciso para sagrar-se cabrocha. A resposta é simples: basta aceitar o cabrochismo em seu coração e frequentar as rodas de samba”.

O Samba das Cabrochas será nesta sexta-feira (15), às 20h, no Trigória Bar e Restaurante, no bairro Jardim das Américas. Os ingressos são vendidos antecipadamente por R$ 20. Informações no telefone (65) 99975-0671.

 

Cinema – Palma de Ouro na edição de 2016 do Festival de Cinema de Cannes, o drama Eu, Daniel Blake (Inglaterra, Drama, 2016, 105min), de Ken Loach, é a atração de hoje, às 19h30, no Cinesesc Debate do Arsenal. O personagem-título, interpretado por Dave Johns, é um viúvo de 59 anos diagnosticado com um grave problema de coração. A indicação médica é para que deixe de trabalhar, mas quando tenta receber os benefícios do Estado para sua subsistência, vê-se enredado numa burocracia injusta e constrangedora.

 

Apesar do esforço em encontrar um modo de provar a sua incapacidade, parece que ninguém está interessado em admiti-la. Durante uma espera numa repartição da Seguridade Social, Dave conhece Katie (Hayley Squires), uma mãe solteira de 2 crianças que se mudou recentemente para Newcastle (Inglaterra) e precisa de ajuda urgente. Daniel e Katie, dois estranhos em situações parecidas, veem-se obrigados a aceitar ajuda do banco alimentar. E é nesse momento de desespero que se tornam a única esperança um do outro.

Além da assinatura do aclamado diretor Ken Loach, o filme conta com argumento de Paul Laverty, colaborador do cineasta em vários outros filmes, entre eles Vento da Liberdade (2006), também vencedor da Palma de Ouro. (Com informações da assessoria)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here