Programa irá fomentar cadeia produtiva de MT

0
148

Programa de Assistência Técnica e Gerencial com duração de 3 anos e voltado para a atividade de hortifruticultura será lançado no próximo dia 26 em Tangará da Serra. A iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar MT), juntamente com outros parceiros, possibilitará atender 50 propriedades, sendo 25 produtoras de hortaliças e outras 25 de frutas. O lançamento do Senar Tec Hortifruticultura ocorre durante a 1ª Feira Estadual de Horticultura. O programa é desenvolvido em várias etapas, até culminar na implantação completa. Inicialmente os técnicos do Senar irão conversar com os produtores para saber o que eles pretendem produzir. Depois será feito
um diagnóstico das propriedades. “O planejamento do que se pretende produzir é uma
construção do produtor junto com o técnico. Além disso, haverá capacitação e acompanhamento frequente”, explica o gerente técnico
do Senar MT, Carlos Augusto Zanata. Em Tangará da Serra, o Senar Tec Hortifruticultura
será implantado em parceria com o Sindicato Rural, Universidade do Estado de
Mato Grosso (Unemat), Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão
Rural (Empaer-MT), Secretaria Municipal de Agricultura e Associação de Engenheiros
Agrônomos de Tangará da Serra (Aeats). Para o presidente do Sindicato Rural de Tangará da Serra, Reck Júnior, a parceria de todas estas instituições é uma forma de fomentar o desenvolvimento da cadeia. Observa, ainda, que o objetivo é melhorar a produção, trazer inovações tecnológicas para os produtores e melhorar a rentabilidade. “A hortifruticultura está em pleno desenvolvimento na região e toda ajuda para organizar esta cadeia produtiva e melhorar a vida dos produtores é bem-vinda”. O professor do curso de Agronomia da Unemat em Tangará da Serra e coordenador do programa de Extensão MT Horticultura, Willian Krause, observa que aproximadamente 75% das frutas e hortaliças consumidas em Mato Grosso vem de fora do Estado. “Isso significa que temos um bom mercado para a nossa produção”. Atualmente em torno de cem mil famílias mato-grossenses investem nessa atividade. “Em Tangará da Serra são cerca de 1,1 mil pequenos produtores. Diante deste panorama, o que precisamos é fomentar essa cadeia que tem retorno rápido e gera renda para o pequeno. Temos mercado e produtores com vontade de produzir. O que nos falta é a assistência técnica e essa parceria vai nos dar o que precisamos”.

Ateg do Senar
O Senar MT começou a oferecer assistência técnica em 2015, relembra o coordenador de Ateg do Senar, Armando Urenha. A 1ª cadeia produtiva atendida com Ateg foi a de bovinocultura de leite, na região de Pontes e Lacerda, com 120 produtores. Desde então, com a visita e orientação frequente dos técnicos do Senar MT, houve evolução em várias áreas. A qualidade dos animais, a alimentação, organização e gestão da propriedade a qualidade do leite são alguns aspectos que melhoraram na atividade. Em 2018 já são mais de 600 produtores integrados no Senar Tec Leite que está sendo executado em pelo menos 20 municípios mato-grossenses. No último dia 12 foi realizado em Pontes e Lacerda um workshop sobre pecuária leiteira. No dia 14 de setembro o evento foi levado ao município de São José dos Quatro Marcos. (Com Assessoria)