OPINIÃO DO DIA: Aprosoja retoma o caminho do diálogo

0
23

Uma reunião, realizada na quarta-feira (15), entre Aprosoja e o governador Mauro Mendes, encerrou o manifesto realizado pela entidade.
Como era de se esperar, de um lado a elegância, firmeza e realidade, de outro, reivindicações, pedido de continuidade de concessões e muitas cobranças.
Este impasse surge logo no início do governo, quando o mesmo, foi obrigado a implantar medidas necessárias para solucionar o cerne dos problemas: despesas correntes e arrecadação.
Situação financeira à beira do caos, obras paradas, 3,5 bilhões de compromissos vencidos, quase R$ 400 milhões de déficit em janeiro, servidores em atraso, 13º sem previsão, reajustes programados, dívidas dolarizadas. O que fazer?
Aumentar impostos é uma heresia, sobretaxar uma violência, por outro lado, Estado ausente, um crime, Estado Inoperante, incompetência! É assim que o contribuinte e o cidadão se expressam. Ninguém quer saber, o Governo tem que arcar com a máquina, atender o contribuinte, dar assistência a sociedade e fazer o desenvolvimento. Mas, de onde virão os recursos?
Repetindo: Ninguém quer saber!!!
Os governos eleitos chegam a suas posses já com os ombros pesados, os problemas na mesa, a herança na conta.
Com planejamento na cabeça, as escolhas no horizonte e uma equipe escolhida, tomam pé da situação, e se põe a trabalhar.
O que encontraram foi terra arrasada!
Pouco mais de quatro meses – insuficientes para resultados mais expressivos –, mas os apresentados até agora pelo Governador, dão conta de que a coisa está funcionando, de R$ 400 milhões, em janeiro, para pouco mais de R$ 70 milhões de déficit em abril, é uma queda incrível na balança de despesas e receitas. Devemos comemorar!
Um bilhão de obras iniciadas e com recursos em caixa ou garantidos, servidores prestes a voltar à normalidade de seus salários, décimo quitado, projeções de crescimento e aumento de arrecadação.

Mauro Mendes em reunião com a diretoria da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat). Foto: Divulgação/Aprosoja

Somente com melhora e profissionalismo da operação Sefaz, as coisas já tomaram outro rumo, resultados surgem sendo eficientes e fazendo a inclusão tributária com competência, gestão, seriedade, justiça, todos devem recolher, essa é a única alternativa e caminho para não aumentar impostos para a já tributada população.
O setor do Agronegócio carrega quase que a totalidade, dos méritos da inserção de Mato Grosso no cenário internacional da produção e, internamente, de um produtor – Produto Interno Bruto (PIB) respeitado – na esfera Federal. O estado de Mato Grosso é pujante, produtivo, tem futuro e é respeitado.
Mas, reconheçam que ao longo das últimas décadas, o estado presente e parceiro, ajudou e assistiu, de perto, a classe produtiva de Mato Grosso.
Milhares de quilômetros de estradas abertas e outras tantas asfaltadas, colonizações assistidas, escolas, saúde, segurança, transporte, energia elétrica, saneamento, as partes que cabiam aos governos foram feitas; cidades foram abertas, novas colonizações, governo presente!
A Agricultura sempre recebeu dos governos municipais, estadual e federal, bancos e instituições, um tratamento mais que diferenciado. Seu progresso interessa a todos e para isso: concessões, renúncias, incentivos, benefícios e securitizações.
Sem este pacote de generosidades e complacências, aliados ao seu valoroso trabalho, não se transformariam nesta potência, em tempo recorde. Isto é um fato!
O Brasil vive um momento de transformações, mas, inserido no clube dos países com dificuldades, trouxe na bagagem, estados em insolvência, prefeituras na falência, bombas relógio em contagem regressiva.
A hora, o momento e a situação exigem união, respeito e sacrifícios.
A Aprosoja e seus filiados, cientes da situação quase falimentar dos governos, deve dar sua cota de sacrifício, colaborando com as medidas implantadas, uma maneira de retribuir o muito que o estado lhe concedeu, neste momento crucial para a retomada e reconstrução de Mato Grosso.
Reuniões, manifestações, encontros deveremos fazer no futuro, comemorando retomadas, conclusão de obras, recuperação de rodovias, reformas de escola e unidades de saúde, dentre tantas outras urgências, para agradecer a generosa contribuição dos agricultores de Mato Grosso em encampar as medidas que tão bem estão fazendo ao nosso querido estado.
Deixemos conversas para depois.
É importante frisar que esta coluna criticou a Aprosoja, que de forma ingênua, circulou propaganda com informações deturpadas sobre os repasses do governo, em uma tentativa de fragilizar o Poder Judiciário de Mato Grosso e a Assembleia Legislativa.
Mas, diante da mudança de postura da associação, que voltou a se abrir para o diálogo, com o claro objetivo de construir pontes concretas rumo ao desenvolvimento do estado; esta coluna, justa e íntegra, reconhece e aplaude a postura da diretoria da Aprosoja.
Vamos seguir juntos que a hora é de muito trabalho!

JPM – João Pedro Marques é advogado e jornalista, com escritórios em Brasília e Mato Grosso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here