Micro indústria de Mato Grosso conquista prêmio nacional

0
561

Com 62% de aumento na produtividade e 31% em redução na conta de energia elétrica, a empresária Halyni Teodoro, proprietária da sorveteria ‘Pé de Picolé’, antiga ‘Frutos da Terra’, foi reconhecida nacionalmente pelo case de sucesso em ‘Otimização’ durante a 8ª edição do Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, em São Paulo. Como prêmio a empresa recebeu R$40 mil em capacitações e consultorias para melhorar ainda mais o negócio.

A empresa familiar nascida em 2002, com a matriarca dona Eunice, produz picolés e sorvetes artesanais com o gostinho das frutas da terra. “Minha mãe sempre gostou das coisas com muito sabor para toda a família, e assim surgiu a empresa no fundo do quintal. Fomos crescendo sem muita organização ou planejamento, preocupados em vender e agradar os clientes”.

Em 2017, Halyni recebeu uma visita da equipe técnica do Instituto Senai de Tecnologia que deu a possibilidade da empresa entrar para o programa Brasil mais Produtivo. “Quando as consultorias começaram logo percebemos a dimensão dos problemas. Os funcionários andavam bastante, não tínhamos Procedimento Padrão Operacional (PPO) para quase nada e nem controle de estoque”.

Com o engajamento da equipe e a aplicação dos conhecimentos aprendidos, o ambiente da fábrica mudou completamente. “De dois galpões para um, redução de freezers e de desperdícios. O resultado veio na conta de energia com uma redução de 31% e 97% na redução de movimentação dos funcionários, pois reduzimos as distâncias, otimizamos o acesso aos produtos e deixamos tudo no mesmo lugar”, conta a empresária.

A produtividade da empresa também aumentou em 62%. Por fim, os ganhos foram tantos que a empresária resolveu investir mais na identidade visual e na padronização da marca. “Mudei a logo, o nome e passamos a ter mais tempo para criar produtos novos. Todos os funcionários aderiram a proposta e passaram a trazer sugestões. Um resultado inacreditável”.

Sobre o prêmio

Halyni Teodoro disse que não imaginava poder concorrer com tantas empresas maiores e muito mais tecnológicas do que a dela. Para ela, o que fez o negócio sobressair foi a capacidade de dar continuidade as sugestões feitas pela equipe do Senai. “A gente, enquanto empresário, acha que não precisa de ajuda. Mas, mesmo algo simples como os 5S, se não tiver alguém puxando não funciona. Toda empresa precisa de um norte para seguir, e conhecer as ferramentas certas é fundamental”.

A empresa Milan Móveis de Cuiabá também conquistou o prêmio no quesito Qualificação. Já a Cerealista Faccio de Nova Mutum foi convidada a apresentar o case sobre Digitalização, tendo em vista a implantação de tecnologias da Indústria 4.0. Todas elas passaram por programas de consultoria e melhorias do Instituto Senai de Tecnologia de Mato Grosso.

Fonte: Fiemt

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here