Jesus chega a Cuiabá mas não consegue emprego

0
144

Por: Lucas Leite 

O venezuelano Jesus Rafael Afonso, de 44 anos chegou a Cuiabá a pouco mais de 15 dias a procura de emprego. Jesus deixou seu país na esperança de ter uma vida melhor aqui no Brasil, pela existência de uma crise política ao qual se encontra a Venezuela.

O homem deixou sua esposa e seus cinco filhos no país, e está acompanho do seu filho de 16 anos, que está estudando em uma Escola Estadual da capital. Ainda no seu país de origem, antes de se estabelecer uma crise, ele trabalhou por muito tempo como marceneiro profissional. Com uma empresa própria, Jesus permaneceu como empresário na área de moveis planejados na Venezuela.  Em sua formação, cursou até o sétimo semestre de comunicação social, mas teve que parar por motivo de força maior.

Nas ultimas semanas, Jesus tem se dedicado em conseguir um emprego aqui na capital. Mas, infelizmente não tem obtido nenhum êxito. “Muitos jovens estão morrendo na Venezuela por conta dessa situação, onde um pacote de arroz chega a custar 2 mil bolívares, e um frango 7 mil, sendo que um pedreiro ganha apenas 5.201 no mês.” diz Jesus.

Entenda: 2.000 Bolívares (preço de um pacote de arroz) equivale a R$0,03 centavos do Real no Brasil.

Entenda: 7.000 Bolívares (preço de  um frango) equivale a R$0,11 centavos do Real no Brasil.

O imigrante fica todos os dias na Avenida Rubens de Mendonça, próximo a Secretaria de Segurança Pública “Sesp”, no período vespertino. Para facilitar a comunicação,

Jesus utiliza um papelão nas mãos informando sua situação em busca de uma oportunidade de trabalho. Para poder ajudar sua família que ainda permanece no país de origem, mas, que deseja trazer ao Brasil. Onde se coloca em total disposição para empreitar qualquer trabalho na capital do Estado.

A crise na Venezuela é uma crise socioeconômica e política que o país tem sofrido desde o final do governo de Hugo Chávez, adentrando a atual presidência de Nicolás Maduro. Entidades de apoio estimam que nos dois últimos anos, mais de 1,5 milhões de venezuelanos tenham deixado o seu país, que está afundado em uma crise política e econômica. Agravada pela falta de serviços básicos, de alimentos e remédios, e dos altos índices de violência e inflação.

Entre 2017 e 2018, mais de 127 mil venezuelanos entraram no país pela fronteira da Venezuela com o Estado de Roraima.