Fiemt apresenta Mato Grosso a investidores coreanos em São Paulo

0
58

O presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Gustavo de Oliveira, apresentou as oportunidades do Estado durante um evento promovido pelo Consulado da Coreia em São Paulo, na noite desta quarta-feira (11). A Fiemt foi a única entidade convidada a palestrar no evento, falando para dezenas de representantes de empresas coreanas que já atuam no Brasil.

A origem do convite foi a visita feita à Fiemt no fim de outubro pelo Cônsul Geral da República da Coreia, Hak You Kim, que ficou impressionado com o potencial de ampliação dos negócios do país oriental com Mato Grosso.

Avaliando os produtos importados pela Coreia atualmente, a Fiemt identificou grandes oportunidades para Mato Grosso em diversos setores, como infraestrutura, bioenergia, carne, milho, madeira, metalomecânica e mineração.

O empresário Silvio Rangel, vice-presidente da federação, participou do evento e enfatiza o crescimento do mercado de biocombustíveis como um dos pontos fortes de Mato Grosso. “Houve grande interesse por parte do público presente, especialmente na questão do etanol de milho, que é uma oportunidade muito atrativa na nossa região, permitindo que sejamos cada vez mais relevantes nesse mercado”, afirma Silvio. Ele destaca ainda o potencial para produção de celulose, que já tem um projeto em andamento em Alto Araguaia e está aberto a propostas de investidores.

Outro exemplo significativo é o da madeira: a Coreia importou US$ 1,4 bilhão em madeira em 2018. Embora o valor fosse suficiente para absorver toda a madeira exportada pelo Brasil no mesmo período, o país respondeu por apenas US$ 10 milhões do total. E uma parcela mínima saiu de Mato Grosso: US$ 1,1 milhão. “Mato Grosso exportou US$ 152 milhões em madeira para o mundo todo em 2018 e quase nada para a Coreia, que é uma grande compradora. Essa é apenas uma das oportunidades que identificamos de imediato”, destaca Gustavo.

De acordo com ele, o cônsul ficou muito impressionado com a visita a Mato Grosso e quer realizar uma missão em 2020 para que empresários coreanos venham conhecer as oportunidades de investimentos. Já declararam interesse empresas de construção pesada, fabricação de equipamentos para construção e empresas de tecnologia.

Também existe um grande interessa nas oportunidades geradas pelo agronegócio e na verticalização. “A existência de linhas de financiamento para a instalação de empresas coreanas aqui com taxas menores que 1% ao ano são um grande atrativo, assim como a perspectiva da ZPE, que eles querem conhecer, pois acreditam que é possível replicar em Mato Grosso o mesmo modelo que foi implantado em Pecém, no Ceará”, enumera Gustavo. “Isso sem contar a possibilidade de acesso aos incentivos locais, como Prodeic e Sudam, dois diferenciais para a atração de novas empresas que despertaram bastante interesse entre os participantes”.

Além da missão a Mato Grosso, já está em avaliação a organização de outra missão, de empresários brasileiros à Coreia, provavelmente em 2021. “Será uma chance de conhecermos de perto as novas tecnologias, principalmente industriais e de telecomunicações, para atrair essas novidades ao Brasil”, adianta o presidente. Essa missão será proposta à Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Fonte: Fiemt

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here