Deputado federal por MT defende reforma da Previdência e se diz contra cortes na educação

0
137

O deputado federal eleito por Mato Grosso, Neri Geller (PP), foi entrevistado no quadro Papo das Seis do Bom dia Mato Grosso desta segunda-feira (13).

Neri é líder da bancada de Mato Grosso no Congresso Nacional.

Ele se posicionou a favor da reforma da Previdência e declarou ser contra os cortes na educação anunciado pelo governo federal.

No decreto, o governo detalhou o bloqueio de mais de R$ 29 bilhões em gastos no Orçamento de 2019. A área mais atingida foi a educação (R$ 5,83 bilhões), seguida de Defesa (R$ 5,1 bilhões).

Com bloqueio de 30% no orçamento para 2019, a campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em Cuiabá tem garantia de funcionamento até julho, segundo a reitora da instituição, Myrian Serra. Nos outros três campi, a previsão é que as atividades sejam interrompidas a partir de agosto.

O corte também refletiu nas atividades do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT). Como consequência, houve corte de R$ 31.838.793,00 no orçamento do IFMT para este ano.

“Eu sou radicalmente contra esses cortes. Eu acho que na educação e saúde, não temos como cortar. Cortar é péssimo”, comentou.

Para o deputado, há uma visão clara em ‘diminuir as despesas com a máquina pública e fazer o enxugamento dos gastos’.

“O país passa por um momento que há a necessidade de se fazer a reforma. O estado não suporta mais o tamanho da máquina pública, o aumento da carga tributária e da receita para cobrir principalmente folha e também o deficit da previdência”, comentou Geller.

O deputado mencionou que alguns ajustes podem ser feitos depois da aprovação. Os ajustes se aplicariam a algumas profissões, como agentes da segurança pública, professores e trabalhadores da agricultura.

“A reforma é necessária para a economia do país. Ela deveria ser feita da forma que veio do governo. Alguns ajustes podem ser feitos depois. Se você me mexe em toda a estrutura, acaba não avançando. Deveríamos dar voto de confiança ao governo”, declarou.

Para Geller, também é necessário mudar as idades mínimas para se aposentar.

“Aposentar cedo é bom quando se tem dinheiro. Não adianta se aposentar hoje e amanha não tem dinheiro para pagar a folha dos aposentados”, finalizou.

Por G1 MT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here