Consumo de castanha cresce 8% ao ano

0
2128

A produção de castanhas nativas (castanha-do-pará, de caju e baru) e cultivadas (pecan e macadâmia) deve ajudar a impulsionar as exportações brasileiras. A expectativa é que vendas externas saltem dos atuais US$ 200 milhões para US$ 1 bilhão em 10 anos, segundo o vice-presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) e diretor da Divisão de Nozes e Castanhas do Departamento do Agronegócio da Fiesp, José Eduardo Mendes de Camargo. No mercado interno, o consumo do produto cresce entre 6% e 8% ao ano.

Em audiência com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, nesta quarta-feira (16), Camargo, acompanhado de representantes do setor produtivo, pediu apoio para ampliar a participação dessa atividade no agronegócio brasileiro, como o acesso a linhas de crédito e revisão de regras tributárias. Isso, assinalou, tem favorecido a evasão do produto pela Bolívia.

O ministro disse ser possível atender ao setor também com linhas de crédito para cultivo do Plano Agrícola e Pecuário. O diretor da Fiesp observou que as castanhas representam alternativa rentável do agronegócio, em função de serem consideradas, principalmente, como alimento funcional, com grande consumo no mercado doméstico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here